quarta-feira, maio 24, 2006

Araras da Liberdade


O pássaro e a alma

O homem que coloca um passarinho na gaiola
Faz o mesmo com a alma, impedindo-a de voar
E ao escutar o canto do pássaro ele acha que é alegria
Mas ao ouvir o murmúrio da alma sente-se em agonia

A alma que canta, clama à liberdade para fazer-vos livres
Livres da injúria bebida, da exacerbada racionalidade
Livres do egocentrismo, do desprezo pela origem divina
Todas as almas são gêmeas, todas são princípios da harmonia

Aquelas que são abafadas pelo pensar cru dos homens
Ficam no fundo do coração aguardando a alforria
Para impedir com azáfama que suceda o próprio perecer

Quando rompem as correntes e transladam no coração
Dão primor e encantamento pelo simples acarinhar do vento
E revogam-se contente, no canto absorvente do pássaro a bailar

Éder Carneiro Cardoso e Silva
17-05-06
Resplandecerá no céu do Novo Mundo as Araras da Liberdade...

4 comentários:

aninha disse...

"A alma que canta, clama à liberdade para fazer-vos livres..."
E tu,poeta, nos tras toda essa aura de liberdade,essa ânsia traduzida em lindas palavras que nos comove!
Um beijo meu.

ceise disse...

Lindoooooooooooooooooooo...
Vc e d+...
Bjs!!

Nalyni disse...

Simplesmente linda

Sweet (dea) disse...

Já li essa sim, meu bem, e ao seu lado =]
E sobre o que acho...?
rs, minhas palavras nada importam após um poema seu.
Beijo no coração.